Mesmo em ano de pandemia a Sead estima que cerca de R$ 386 milhões podem ter sido injetados na economia

Publicado em .

Mesmo com a pandemia do novo coronavírus o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Administração (Sead), realizou  247 pregões eletrônicos em 2020, número que se aproxima do resultado em 2019, que foi de 252 pregões.

Com esses pregões relacionados à locação de veículos, compra de material da educação, medicamentos, serviços, entre outros itens, há uma previsão de dinheiro injetado na economia em 2020 na ordem de  R$ 386.970.875,85, valor que supera o ano anterior, que foi de R$ 264.277.934,62.

Segundo o secretário George Trindade, a promulgação da Lei Estadual nº 8.747/2020 contribuiu para que boa parte dos recursos ficasse em Sergipe. Isso porque a lei prevê que apenas as micros e pequenas empresas sergipanas participem de licitações, cujos lotes tenham valor máximo de  R$ 80.000,00.

Ressalta que a lei estabelece ainda que qualquer licitação que ultrapasse o limite pré-estabelecido é facultado à conveniência de administração a reserva de uma quota de 25% para as referidas empresas.

“Essa lei se torna de extrema relevância para o cenário econômico estadual ao passo que estabelece verdadeira perspectiva de crescimento e retomada econômica para o cenário pós-pandemia no qual o mundo está inserido”, avalia George, enfatizando que mesmo antes da entrada em vigor da lei, os dados angariados pela Superintendência de Compras da Sead demonstram que as microempresas sergipanas representaram 79% de participação em certames licitatórios, quando comparadas com empresas do mesmo porte pertencentes a outros Estados.